A.lo.ha

n. int. - 1.hello, greeting. 2.farewell, an act of departure.
O que dizer a algo que não se foi mas também não ficou? Como se despedir daquilo que parte mas não nos deixa?

Das coisas mais dolorosas ao ser humano, acredito que o "adeus" não definitivo é a pior delas.  Ter que deixar para trás sabendo que aquilo ainda existirá só que não tão perto quanto antes, talvez não da mesma forma ou intensidade como antes. Aquela sensação de ter um "momento" ou um "laço" interrompido, pausado, enquanto você precisa iniciar um outro sem saber ao certo como terminará.

O adeus que de certa forma também abre portas para um "olá" a coisas novas, descobertas, incertezas, reajustes, recomeços. Então, algo que ao mesmo tempo é tão doloroso acaba se tornando reconfortante, aconchegante e chega a borbulhar na boca do estômago de ansiedade.

Acredito que para enxergar o lado bom da coisa é necessário um certo "costume". É como se fosse necessário se "calejar" de despedidas, para que no futuro possa ve-la não como um "adeus" mas como um lá no futuro "bem vindo de volta".  Um adeus, com cara de olá.

Do havaiano antigo, "Aloha" que carrega exatamente a definição de tudo dito acima, é a palavra com que pretendo iniciar uma longa lista de postagens onde cada dia diferente, terá uma definição e palavra diferente.  Quem sabe lá na frente eu não acabe fazendo um "dicionário" anual de coisas aprendidas nessa terra gringa.

Provavelmente, durante os próximos posts eu acabe tendo mais para falar, no momento acho que nenhum texto gigantesco definiria melhor o que precisava ser dito, sentido e absorvido. Aloha.


#TravelingFeathersMusicPost 
Para todos aqueles que sentem a dor do adeus. Permitam que  o "aloha" defina partida e também chegada. Use-o e assim daqui para frente, nenhum adeus será para sempre e carregará com ele, a certeza de um novo olá. Que a despedida crie laços mais fortes, lembranças incríveis para que no reencontro, histórias maravilhosas sejam contadas... 


You May Also Like

2 comments